Princípios Transversais

CT-BIO

Princípios Transversais

O projeto CT-BIO, desde a sua fase de conceção até à sua implementação atual, assegura que as ações do projeto cumprem sempre os princípios horizontais e as políticas comunitárias em matéria de igualdade de oportunidades e não discriminação, igualdade entre mulheres e homens e desenvolvimento sustentável, conforme estabelecido no Regulamento (UE) n.º 1303/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 13 de dezembro de 2013. Em especial, o artigo 7.º estabelece que “os Estados-Membros e a Comissão devem tomar as medidas adequadas para evitar qualquer discriminação em razão do sexo, raça ou origem étnica, religião ou crença, deficiência, idade ou orientação sexual durante a preparação e execução dos programas”.

 

A continuação seguem-se as medidas adotadas pelo projeto em cada um dos princípios horizontais e que contribuem para um crescimento inteligente, inclusivo e sustentável, em conformidade com a Estratégia Europa 2020.

Desenvolvimento sustentável

O projeto centra-se na biotecnologia e apoio às empresas do setor na Euroregião. Biotecnologia é “A utilização de organismos vivos, ou partes deles, para obter ou modificar produtos, melhorar plantas ou animais ou desenvolver microrganismos para fins específicos“. Em suma, é uma ciência que utiliza organismos ou partes deles para fabricar um produto. É uma ferramenta útil que aplicada com uma ética ambiental pode reduzir o impacto dos seres humanos no meio ambiente. Por meio das tecnologias e avanços deste setor, foram obtidas aplicações que podem atuar em diversos problemas ambientais, tanto em sua prevenção como em sua solução.

 

Por exemplo, na produção industrial para reduzir o impacto poluente de certos processos industriais, ou como medidas paliativas, como a luta biológica contra pragas, secas ou os efeitos da poluição marinha ou na aquicultura.

 

O projecto, devido ao seu próprio tema e actividades a desenvolver, promove todo o potencial do sector biotecnológico na Euroregião, bem como o seu impacto e hibridação com outros sectores, seguindo critérios éticos em relação ao ambiente, e favorecendo aquela tecnologia que pode ter os melhores efeitos a favor do ambiente, da biodiversidade e do desenvolvimento sustentável.

Por outro lado, o projeto também está alinhado com o desenvolvimento sustentável por meio das seguintes ações:

  • Na utilização de equipamento TIC, as normas internacionais de normalização serão tidas em conta na utilização de equipamento TIC principalmente baseado na protecção do ambiente e na utilização desse equipamento (ISO TC 207; ITU-T; GHG Protocol, IEC TC 111, BSI, EC-JRC, JRC-IES, ETSI, IAASB).
  • Nas actividades de gestão, todos os parceiros se comprometeram a manter um comportamento amigo do ambiente em acções e atitudes como a utilização de sistemas de videoconferência para lidar o mais possível com questões operacionais do projecto, evitando viagens desnecessárias.
  • Na impressão desnecessária de documentação digitalizada, reciclagem e reutilização de papel tanto quanto possível, produção de materiais ecologicamente corretos para o gerenciamento e disseminação do projeto.

Igualdade entre homens e mulheres

O grupo destinatário final do projecto são os empreendedores e empreendedoras bem como empresários e empresárias à frente de Start Ups e empresas de base tecnológica da Euro-região.

 

Do mesmo modo, procura também estimular o empreendedorismo feminino entre os jovens estudantes de especialidades relacionadas com a biotecnologia nas universidades da euro-região.

 

Por um lado, são abordados os problemas da discriminação com base no género, uma barreira em que se actua ao proporcionar um grão de areia para quebrar os estereótipos sociais que são barreiras à opção das mulheres por uma carreira científica. Para isso, em medidas como a comunicação e a divulgação, tentamos introduzir imagens de mulheres cientistas e pesquisadoras, bem como de mulheres de negócios, bem como nos slogans do projeto.

 

Também é dada atenção, tanto quanto possível, à maior dificuldade enfrentada pelas mulheres investigadoras, empresárias e empresárias quando têm de conciliar a vida familiar com a maternidade. Neste sentido, tenta transmitir a mensagem de que é precisamente através do caminho do auto-emprego e de ser “sua própria mulher de negócios” que também se pode facilitar melhores medidas de conciliação para as mulheres. Assim, na equipa das entidades parceiras, bem como nas equipas externas e especializadas, procura-se sempre uma paridade na representação de ambos os sexos, evitando a discriminação horizontal e vertical no local de trabalho.

Além disso, o projeto também está alinhado com a igualdade entre homens e mulheres por meio das seguintes ações:

  • A linguagem não sexista é utilizada em todos os documentos.
  • Está incluído em todos os sistemas de comunicação do projecto que a igualdade de oportunidades é uma prioridade do trabalho em equipa e um dos objectivos do próprio projecto.

Igualdade de oportunidades e não discriminação

Na equipa das entidades parceiras, bem como nas equipas e peritos externos contratados no âmbito do projecto, verifica-se a ausência de discriminação em razão de circunstâncias de género, raça ou origem étnica, religião ou convicções, deficiência, idade ou orientação sexual ou cultura, entre outras, sendo expressamente controlado que o seu pessoal não é destinatário de condutas indesejáveis que tenham por objectivo ou consequência o atentado à dignidade ou a criação de um ambiente intimidativo, humilhante ou ofensivo.

 

Neste sentido, todos os projectos empresariais biotech aos quais são prestados serviços de formação e aconselhamento são obrigados a respeitar os princípios da igualdade de oportunidades e da não discriminação, contribuindo assim para a manutenção do bem-estar e da coesão social.